Ouça agora na Rádio

N Notícia

Ivan Storti/Santos FC/ fotospublicas.com

FOTO: Ivan Storti/Santos FC/ fotospublicas.com

Sport vence Santos em Recife, mas amarga o seu quinto rebaixamento no Brasileirão

Resultados não ajudaram e Leão estará na Série B em 2019

Informações compartilhadas Superesportes

Em um jogo de fraco nível técnico disputado neste domingo no estádio da Ilha do Retiro, em Recife, o Sport venceu o Santos por 2 a 1, mas acabou sendo rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro. Mesmo com o triunfo, o time pernambucano amargou o seu quinto rebaixamento na história do Brasileirão, no qual também caiu para a segunda divisão nacional em 1989, 2001, 2009 e 2012.

O Sport fechou a sua campanha com 42 pontos, em 17º lugar, e só conseguiu ser melhor do que América, Vitória e o Paraná, os outros três que caíram para a Série B. O Santos, por sua vez, terminou o campeonato com 50 pontos e no 10º lugar, encerrando sua participação no Brasileiro sem empolgar o seu torcedor, que precisou se conformar apenas com uma vaga na Copa Sul-Americana.

O confronto deste domingo também marcou a despedida do técnico Cuca, que no último dia 23 de novembro anunciou que precisará deixar o clube e o futebol para poder cuidar de sua saúde em 2019. Ele revelou que terá de tratar de um problema cardíaco, que o fará ser submetido a um cateterismo.

Necessitando de uma vitória e de um combinação complicada de resultados para permanecer na elite nacional, o time pernambucano pouco conseguiu fazer em campo para merecer se livrar da queda. Do outro lado, um time santista cheio de desfalques - foram dez baixas para este duelo - também esteve longe de realizar uma boa partida nesta rodada final na qual entrou em campo sem grandes pretensões.

Também desfalcado de Cláudio Winck, Michel Bastos, Luan Polli, Jair e Durval, que assistiram ao duelo deste domingo de um camarote da Ilha do Retiro, o Sport não conseguia criar chances ofensivas. E o time santista, como se já não bastassem as baixas, perdeu Guilherme Nunes aos 21 minutos do primeiro tempo, por lesão, quando precisou ser substituído por Yuri.

Logo em seguida, aos 22 minutos, o Santos teve ótima chance de abrir o placar. Jean Mota recebeu na grande área e chutou, mas Mailson praticou bela defesa para salva o Sport. Pouco depois, a notícia de que o América desperdiçou um pênalti contra o Fluminense, no Maracanã, fez a torcida do Sport explodir de alegria, mas ainda precisava acontecer muita coisa para a equipe recifense conseguir se manter na elite.

E aos 41 minutos, Rodrygo investiu pelo lado esquerdo e tocou no meio para Jean Mota, que chutou à direita de Mailson e deu outro susto na torcida do Sport.

Ciente de que seu time praticamente não existiu na parte ofensiva no primeiro tempo, o técnico Milton Mendes resolveu sacar Neto Moura e Matheus Peixoto após o intervalo e voltou para a etapa final com os atacantes Rogério e Hernane.

Demorou um pouco, mas as apostas do comandante se mostraram acertadas, pois Rogério abriu o placar para o Sport aos 38 minutos. Mateus Gonçalves fez boa jogada pelo lado esquerdo e cruzou para Rogério, que finalizou de primeira para as redes.

Naquele momento, porém, a Chapecoense já vencia o São Paulo por 1 a 0, em Chapecó, e o Vasco segurava um empate por 0 a 0 com o Ceará, em Fortaleza, e essa combinação de resultados acabou se confirmando e já era suficiente para rebaixar o Sport.

O segundo gol do time pernambucano saiu nos acréscimos, aos 46 minutos, quando Marlone cobrou falta e Hernane completou para as redes de cabeça. Pouco depois, aos 48, Rodrygo descontou para 2 a 1 em uma cobrança de falta, mas já era tarde demais para o Santos buscar uma reação. Foi um fim melancólico de campanha para a equipe alvinegra.

FICHA TÉCNICA

SPORT 2 X 1 SANTOS

SPORT - Maílson; Andrigo, Ernando, Adryelson e Raul Prata; Marcão Silva, Fellipe Bastos (Marlone), Neto Moura (Rogério), Gabriel e Mateus Gonçalves; Matheus Peixoto (Hernane). Técnico: Milton Mendes.

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Luiz Felipe e Copete; Guilherme Nunes (Yuri), Diego Pituca (Eduardo Sasha) e Jean Mota (Lucas Lourenço); Arthur Gomes, Felippe Cardoso e Rodrygo. Técnico: Cuca.

GOLS - Rogério, aos 36, Hernane, aos 46, e Rodrygo, aos 48 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Raphael Claus (Fifa/SP).

CARTÕES AMARELOS - Andrigo, Adryelson e Rogério (Sport); Yuri (Santos).

PÚBLICO - 23.451 torcedores.

RENDA - Não disponível.

LOCAL - Ilha do Retiro, em Recife (PE).

FONTE: Superesportes / Estadão Conteúdo
Link Notícia

Leia também