Ouça agora na Rádio

N Notícia

GAZETA DIGITAL

FOTO: GAZETA DIGITAL

Operação conjunta contra entrada de celular em presídio prende 11 mulheres em Água Boa

O tráfico de drogas e o repasse de celulares para detentos da Penitenciária Regional Major Zuzi, em Água Boa, foram focos de uma operação conjunta da Polícia Civil e da Polícia Rodoviária Federal, com apoio de agentes penitenciários, realizada no sábado (13).

A ação é resultado da apuração de várias denúncias anônimas indicando tráfico de drogas por parte das mulheres que visitam reeducandos. Diante das informações,  as forças da Segurança Pública promoveram a ação, denominada Operação Zuzi 01, que iniciou às 5hs da manhã e se estendeu até por volta das 22hs da noite de sábado.

Oito mulheres foram conduzidas até a Delegacia. Elas estavam se preparando para visitar maridos ou filhos detidos na penitenciária. A maioria dos presos integra uma facção criminosa. Outras três foram interceptadas dentro de ônibus indo levar aparelho ou drogas a companheiros ou parentes na unidade prisional. 

Conforme o delegado de Água Boa, Gutemberg de Lucena Almeida, uma das ações ocorreu no próprio presídio, no momento que as mulheres se preparavam para acessar o pátio da unidade. Algumas delas foram surpreendidas com drogas e celulares, que seriam introduzidos na penitenciária para seus companheiros.

“Tanto as drogas quanto os celulares estavam embalados e prontos para serem introduzidos nas partes íntimas, o que dificulta a detecção pelos equipamentos eletrônicos. Os celulares estavam totalmente embalados em borracha para enganar o detector de metais. Porém, as câmeras de vigilância da Penitenciária ajudaram a identificar as autoras”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o Gutemberg, durante o cerco policial, às mulheres, várias delas descartaram as drogas e celulares no lixo, na vegetação próxima e no banheiro. Porém, oito mulheres foram identificadas nessa situação, seis sendo autuadas em flagrante por tráfico e associação para o tráfico. 

Os maridos ou companheiros, em sua maioria, são pessoas perigosas, presas por tráfico de drogas e por roubos, entre outros crimes. Algumas das mulheres também já possuem passagens, na maioria por tráfico de drogas. Elas foram autuadas em flagrante e transferidas para a Cadeia Pública de Nova Xavantina,  à disposição da justiça.

As investigações  prosseguem e outras pessoas podem ser indiciadas se comprovada a associação para os crimes.

FONTE: GAZETA DIGITAL
Link Notícia